ANS vai fazer intervenção na Prevent Senior

Por Lívia Tomazelli
Do G7 Informe
06/10/2021 | 18h58

A Agencia Nacional de Saúde Suplementar, realizará uma intervenção especial na operadora Prevent Senior.
A informação foi revelada nesta quarta-feira, 6, em depoimento a CPI da Covid-19, pelo Presidente da ANS, Paulo Rebello.
Ele disse que a medida será iniciada em 14 de outubro, e acontece quando fiscais da Agencia, ficam de dentro de uma prestadora de saúde, informando tudo o que acontece e
procedimentos adotados.
A vistoria não tem data para ser encerrada e vai durar, o tempo que necessário.

Ao final da intervenção, se constatadas irregularidades, a ANS pode adotar medidas extraordinárias contra o plano de saúde.
Isso pode incluir, a proibição de sua comercialização e operação no país.
Nesse caso, os clientes teriam que ser migrados a outras carteiras de saúde, que comprariam o serviço para oferecer os mesmos e pelo mesmo valor ou até por valores mais
baixos.
A medida é considerada extrema e pode acontecer, se forem constatadas irregularidades severas na operadora.
Poucas foram as vezes em que, a ANS determinou que uma operadora de saúde suplementar, fosse obrigada a entregar sua carteira de clientes como pode ocorrer agora com a Prevent
Senior, que ficaria impedida de voltar a atuar no Brasil.

As medidas excepcionais, são adotadas frente as graves acusações de que a prestadora estaria prescrevendo Kit Covid-19, para tratar a doença, e sem consentimento de seus
pacientes.
De abril a setembro do ano passado, a prestadora ofereceu o medicamento de maneira indiscriminada, e tratou, dezenas de pessoas que depois vieram a óbito.
Os atestados de morte dessas pessoas, não continham informações referentes a Covid-19, o que configura crime de falsidade.

A Prevent, entrou na mira da CPI da Covid-19, depois que um dossiê foi apresentado, com dados de médicos demitidos da empresa e que relatavam com documentos e outras provas, as prescrições.
Todas eram irregulares, porque o Kit Covid não tem eficácia comprovada no combate ao mal.
Inclusive, contém medicamentos responsáveis por causar morte de pacientes, como a Cloroquina.