São Paulo começa a aplicar 3ª dose de vacinas em idosos maiores de 60 anos a partir de setembro

Por Lívia Tomazelli e Mariana Maritan

Do G7 Informe – 25/08/2021 | 15h35

O governador João Doria, anunciou nesta tarde de quarta-feira, 25 de agosto, em coletiva na sede do governo paulista,
que o estado vai imunizar sua população idosa, com a 3ª dose de vacinas contra a Covid-19.
A dose começará a ser aplicada num cronograma montado conforme disponibilidade de imunizantes, para idosos maiores de 60 anos.
Em todo o estado, os idosos serão vacinados com essa dose extra.
Mas, por ordem de idade a exemplo do que aconteceu com a dose de inicialização.

Primeiro receberão as pessoas com 90 anos ou mais, e depois as idades vão decaindo, até chegar aos 60 anos.
Tomarão a vacina, aqueles idosos que, receberam a sua 2ª dose de imunização, há mais de 6 meses.
Isso porque, é a partir do 6º mês que a imunidade contra a Covid começa a baixar, e a pessoa fica sujeita a novas e mais fortes infecções, segundo os estudos.
É importante salientar que a 3ª dose, vai ser dada com a vacina que tiver disponibilidade na rede para ser aplicada.
Ou seja, não precisa ser a mesma imunizante que a pessoa tomou as duas doses anteriores.
Em outros países essa estratégia tem sido usada, e aumentado a imunidade das pessoas que vem recebendo a vacina, disse o comitê de enfrentamento a Covid-19 paulista.

Mais cedo também nesta quarta-feira, o Ministro da Saúde disse que iria disponibilizar, a 3ª dose de vacinas para idosos acima de 70 anos.
Pessoas com problemas na imunidade, também iriam receber a 3ª dose, num cronograma que será montado posteriormente.
São considerados imunussuprimidos, as pessoas que realizaram transplantes,
ou que tenham doenças autoimune.

Segundo os estudos apresentados até aqui pela ciência, os outros grupos de pessoas não necessitam da 3ª dose agora.
Mas, o governo de São Paulo, estuda imunizar parte de sua população com doses anuais de vacina, a exemplo do que ocorre com a vacina da gripe.
Para isso, o estado prevê a produção de cerca de 50 milhões de doses a partir do final deste ano, e que seriam aplicadas a partir de janeiro de 2022.

Mudança de posição
O governador João Doria, contrário a aplicação da 3ª dose de vacina agora, mudou sua posição.
E explicou que a apresentação de novos estudos e das discussões do comitê de enfrentamento a Covid-19, o fizeram ver a necessidade dessa mudança de posicionamento.
Doria ressaltou que esse vírus é algo novo, e hoje, o que era de um jeito ontem não é mais.
É preciso saber mudar e estar aberto a aceitar novas realidades.

O governador também comemorou, resultados positivos de vacinação, e de diminuição de internações e mortes em São Paulo.