7 de setembro – Polícia Federal fecha o cerco contra manifestações que prometem derrubar os poderes da república

Por Guilherme Kalel e Tayla Vieira

Do G7 Informe – 24/08/2021 | 7h

Prestes a ocorrer no Brasil, uma manifestação não com o objetivo de apoiar Jair Bolsonaro, mas sim de romper os limites constitucionais e causar uma ruptura,
a Polícia Federal fecha o cerco contra participantes desse movimento.
Marcada para acontecer em 7 de setembro, a manifestação tem preocupado as autoridades, de segurança e judiciárias do país.
Até agora, não houve proibição aos atos, contudo algumas medidas já foram adotadas por prevenção.

A polícia tenta descobrir, antes que seja tarde, quem financia o movimento.
Que nasceu pelas redes sociais e ganhou força, muita força, a exemplo do que se viu nos Estados Unidos, em janeiro de 2021.
O movimento, pode repetir aqui o que houve lá, invasão do Capitólio.
Aqui, a invasão deve ser em Brasília, na Praça dos Três Poderes, onde estão as bases do governo, Congresso e do STF.

Muitas pessoas tem convocado os atos, em defesa da família e de um conservadorismo muito bem defendido por Jair Bolsonaro.
Nada pacífica há informações de que, as pessoas estariam dispostas a ir ao protesto armadas.
Isso por si só, levanta muita preocupação do desfecho desses casos.

Em São Paulo, também deve se ter uma grande manifestação na Avenida Paulista, pró Bolsonaro,
onde, também se tem grandes riscos de rupturas e danos ao patrimônio público.
O Presidente disse que, irá nas duas manifestações, marcadas para ocorrer em diferentes horários ao longo do dia.

Mas a Polícia Federal quer apurar, se o Planalto não está por trás desses manifestos.
Alguém financia os grupos e é preciso saber quem, se há dinheiro público por trás.
Na semana passada, algumas pessoas alvo de uma operação foram ouvidas pela PF,
questionadas sobre o dinheiro e o movimento que vem sendo organizado, e seus encontros com integrantes do governo federal, nada acaso.