Taleban declara Emirado Islâmico e aumenta temores sobre novos rumos do Afeganistão

Por Kristin Parker e Mariana Maritan

Especial para o G7 Informe

Cabul e Franca – 19/08/2021 | 20h30

Nesta quinta-feira, 19, o Taleban usou as redes sociais para transmitir uma mensagem ao povo afegão e ao mundo.
O Porta-voz do grupo islâmico, declarou que o país teria suas inscrições nomenclaturais modificadas,
a partir da data de 19 de agosto, passando a ser conhecido pelo nome “Emirado Islâmico do Afeganistão.”
O mesmo nome foi usado pelo grupo extremista, entre os anos 1996 – 2001, quando dominou o país num regime ditador e autoritário.
Esses foram os primeiros indicativos, de que tempos sombrios vem por aí.

Nesta quinta-feira, em que foi feriado no Afeganistão, por conta do dia da Independência do país,
milhares de pessoas foram as ruas protestar contra o novo regime.
Eles levaram bandeiras do Afeganistão, que agora são consideradas um símbolo de rebeldia.
O Taleban tem sua própria bandeira na cor branca, com inscrições em islâmicas.
Os afegãos não adotaram essa bandeira e preferem a anterior, que é preta, vermelha e verde.

O Porta-voz do grupo islâmico disse a imprensa hoje, que pretendem manter relações diplomáticas com todos os países.
Prometeu não haver vingança contra aqueles que trabalharam ao lado de norte-americanos, considerados inimigos do regime.
Disse que suas terras e riquezas estarão seguras.

Contudo o Taleban não menciona o que acontecerá com boa parte da população pobre do país,
que sempre foi desprezada e deixada de lado, durante sua primeira gestão afrente da nação.
Também, não falam ainda sobre que tipo de lei será adotada no país.
Alguns comandantes do Taleban, disseram pontualmente que reuniões devem definir o rumo do governo no final de semana,
mas que não haverá democracia no país.
O que sugere que eles não pretendem deixar o poder, vieram para ficar.
Com isso a lei adotada, deve ser a mesma do Islã, que tem uma série de interpretações equivocadas por parte dos extremistas.

A lei, proibe mulheres andarem expostas na rua,
estudarem após os 12 anos de idade,
os casamentos são arranjados,
um homem pode ter até 4 mulheres, inclusive menores de idade.
Na lei, ainda indica-se que, o Taleban tem propriedade sobre as riquezas do país, e pode confiscar qualquer bem.
Para casos de adultério, as mulheres serão punidas com o apedrejamento.
Execuções públicas e amputações também ocorrem, para casos de roubos e outros crimes.

O clima de terror, continua nas ruas do Afeganistão apesar de protestos.
Que foram reprimidos com violência por combatentes do Taleban.
Tiros disparados em diversas províncias, deixaram pessoas mortas, em números não oficiais.

Só no Aeroporto Internacional, a estimativa é que 12 pessoas morreram, desde a segunda-feira, 16.
Por tentarem deixar o país.

Os Estados Unidos, acusaram o Taleban hoje de montar barricadas para impedir pessoas de chegarem no Aeroporto.
O país pediu que os extremistas deixassem as pessoas que querem sair do país passar.

Edição – Lívia Tomazelli