Apesar de ministérios no governo, legendas estudam super fusão sem apoio a Bolsonaro

Por Nathália Mello

Do G7 Informe – 23/07/2021 | 7h12

Apesar de apoio ao Presidente Jair Bolsonaro, com alguns de seus membros no governo, uma informação pega a todos de surpresa.
O senador Ciro Nogueira, o Presidente da Câmara Arthur Lira, e membros do PSL, e do Democratas, tem conversado muito nas últimas semanas.
O motivo, fazer uma fusão entre as siglas.
Nesse formato, Democratas, PSL, PP e PL, iriam se unir entorno de um único nome.
Há algumas condições para que isso aconteça, e dentre elas o não apoio ao Presidente Jair Bolsonaro em 2022.
Também, não aceitar a filiação do Presidente, na nova legenda a ser criada.

Se isso acontecesse, o superpartido teria um recheio de R$ 2 Bilhões de recursos eleitorais para as eleições do ano que vem.
Mas a nova Legenda não deveria ter um candidato ao Planalto.
Não se sabe que nome, pretenderiam apoiar ou se ficariam neutros, liberando seus membros a apoiarem quem quiserem.
O Democratas tem 2 ministros hoje no governo Bolsonaro,
PP também vai ter a Casa Civil.
Por isso é preciso avaliar, se o partido for mesmo sair do papel e das tratativas, o que aconteceriam com esses membros.
Se Ciro Nogueira realmente entrar na Casa Civil, como anunciou Bolsonaro pra semana que vem,
isso pode indicar que ele teria que trabalhar para reverter essa rejeição da nova legenda contra o Presidente.

Edição – Luara Pecker