Bolsonaro evolue de forma satisfatória mas segue sem previsão de alta

Reportagem e edição – Guilherme Kalel

Do G7 Informe – 15/07/2021 | 6h30

Atualizado | 16h52

O Presidente Jair Bolsonaro deu entrada no hospital Vila Nova Star, em São Paulo, na noite desta quarta-feira, 14.
Uma obstrução intestinal é a causa desta internação, iniciada ainda na madrugada de quarta-feira, 14, em Brasília, de onde foi transferido para a capital paulista posteriormente.
Nesse momento, Bolsonaro faz tratamento clínico conservador com medicação forte, para tentar resolver o problema.
E é acompanhado por seu médico cirurgião pessoal, Antônio Macedo.
Se houver necessidade, o Presidente poderá ser submetido a uma cirurgia.
Por hora a hipótese está descartada, enquanto se espera a resolução com o tratamento clínico.

Em boletim médico divulgado na tarde desta quinta-feira, 15, o hospital informou que o Presidente passa bem e evolue de maneira satisfatória.
Contudo, sua agenda de compromissos segue suspensa segundo a Assessoria do Planalto.
Bolsonaro não está recebendo visitas, só membros da família tem acesso ao Presidente.
Outra informação importante a se repassar, é que não existe uma data de alta programada, e isso ainda depende da evolução clínica de seu quadro.

Histórico médico
O Presidente Jair Bolsonaro durante campanha presidencial em 2018, foi ferido num atentado a faca, na cidade de Juiz de Fora, em Minas Gerais.
Na oportunidade a facada atingiu seu intestino e ele precisou passar por 3 cirurgias de reparo e reconstrução, desde então.
A obstrução intestinal de agora, tem a ver ainda com o ferimento de 3 anos atrás, explica seu médico.
Por isso o Presidente está internado e sendo acompanhado de perto, com avaliação médica e de exames de imagem.

Nesta quarta-feira ainda em Brasília, Bolsonaro postou fotos em suas redes sociais, e voltou a falar do atentado a faca que sofreu.
O Presidente fez ataques a partidos de esquerda, e disse que não iria desistir de defender o Brasil,
conclamando seus seguidores para que fizessem o mesmo.

As declarações e as imagens aparecem, num momento de fragilidade do governo Bolsonaro,
manchado pelas denúncias de corrupção relacionadas a pandemia da Covid-19 e no meio de uma CPI sobre o tema.
Há ainda uma insatisfação popular muito grande com o governo atual, embalada por 130 pedidos de Impeachment contra Jair Bolsonaro engavetados na Câmara Federal.