Crise internacional – Presidente do Haiti é morto a tiros em casa

Por Guilherme Kalel e Nathália Mello, Do G7 Informe

07/07/2021 | 8h

O Presidente do Haiti, Jovenel Moise, foi assassinado na madrugada desta quarta-feira, 7, informou o Primeiro-Ministro do país, Claude Joseph.
A informação foi comunicada, momentos depois do atentado contra a vida do Presidente ocorrer, a imprensa local.
Joseph disse ainda que a Primeira-Dama, Martine Moise, também sofreu com o atentado e foi baleada.
Seu quadro de saúde não foi informado.

O Premiê pediu que a população se acalme, e garantiu que a Polícia Nacional do Haiti e as Forças Armadas, estarão nas ruas para garantir estabilidade e segurança de todos.
O país, um dos mais pobres do mundo, desde que foi devastado por um terremoto em 2010, e antes disso por políticas nada favoráveis ao povo,
acabou mergulhando numa crise política que se arrasta desde 2015, e só se acentuou agora.

O Presidente Moise, foi eleito para um mandato de 5 anos em 2015, e deveria inicia-lo em 2016.
Mas a eleição foi suspensa por denúncias de fraude e um novo Pleito foi realizado.
Moise, acabou sendo vencedor novamente e finalmente, assumiu o mandato em fevereiro de 2017.
Seu mandato se encerraria em fevereiro de 2021, quando uma nova eleição que deveria ter sido realizada em 2020, daria posse ao novo Presidente,
ou ao próprio se reeleito.

Mas Moise, discordou da tese.
Ele diz que a constituição o dá um mandato de 60 meses, e por causa do atraso das eleições de 2015/16, teve 48 meses no poder.
Seu mandato venceria na sua visão, só em fevereiro de 2022.
Mas, os tribunais do país não reconheceram esse mandato como ele disse que deveria ser.
A crise só se agravou desde então.

Opositores e governistas começaram a se ameaçar, enquanto o Parlamento foi desfeito no ano passado.
Moise, governava por decretos o que levantava desconfiança de boa parte da população.

Em fevereiro desse ano, 20 pessoas foram presas no Haiti, acusadas de orquestrarem um golpe de estado contra o Presidente, e de planejarem um ataque a sua vida.
Nesta quarta-feira, um novo atentado não foi evitado.

Ainda não é possível saber, se a morte hoje, teve algo a ver com o golpe anterior frustrado pelas autoridades fiéis ao Presidente.
Ele estava em sua casa, quando foi surpreendido por um grupo de pessoas que falavam espanhol, segundo testemunhas.
Eles já chegaram no local atirando, balearam e mataram Moise, e feriram a sua esposa antes de fugirem a rumo ignorado.