Contra greve e por recursos da Prefeitura, São José vai a Justiça

Por Eduarda Sampaio, Do G7 Informe

21/06/2021 | 5h55

A empresa de transportes coletivos São José, responsável pelo transporte de passageiros em Franca, ingressou com ação na Justiça neste domingo, 20 de junho.
Na ação, a empresa pede atenção do poder público Municipal para a situação catastrófica que a empresa enfrenta, e que a Justiça declare ilegal a greve atual de motoristas da
companhia.

A São José, sofreu percas consideráveis durante a pandemia, que se agravaram com o Lockdown.
Por conta disso a empresa não conseguiu recursos para pagar funcionários e fornecedores, o que originou uma paralisação no sábado, 19 de junho.

A empresa alega que a população terá um prejuízo sem precedentes, se a frota mínima não for colocada na rua.
E o mesmo acontecerá com os cofres da companhia, que não terá como paga-los se eles ficarem em greve.
A São José pede então, que a frota mínima fique nas ruas, e que a Prefeitura atenda reivindicações feitas pela empresa.

Queda de braço
A empresa São José, vem desde o ano passado tentando conseguir recursos da Prefeitura Municipal, através de repasses e subsídios.
Alega que em outras cidades maiores os valores foram concedidos,
e que se não conseguir esses recursos, terá que aumentar ainda mais a passagem.
Historicamente o aniversário de contrato, quando as passagens devem subir, é junho de cada ano.
O último aumento foi dado, em fevereiro de 2020 no entanto.
A empresa, espera que a passagem suba a partir do mês que vem.
Para sua planilha, os custos necessários para se manter o transporte em Franca, ultrapassariam os R$ 7,00 hoje.
O que seria absurdo.
Em Porto Alegre, uma capital maior que Franca, o preço da passagem será de aproximadamente 5,20, a partir de julho.

A Prefeitura Municipal, tem se negado a discutir subsídios ou aumentos na passagem com a São José.
O que motivou a ação agora.