Porto Alegre rompe contrato com empresa de coleta de lixo e Prefeitura monta força tarefa para recolhimento

Por Patricia Marini, Do G7 Informe

15/06/2021 | 7h58

A cidade de Porto Alegre, enfrenta um drama na sua limpeza urbana, desde a semana passada.
No último 8 de junho, funcionários da empresa contratada para a coleta de lixo na cidade decidiram parar de trabalhar.
Eles alegam que a empresa estaria descumprindo leis trabalhistas e por isso, cruzaram os braços.
Diante a um impasse entre a empresa e seus funcionários, a Prefeitura Municipal da capital gaúcha, suspendeu o contrato com a empresa na quarta-feira, 9.
A suspensão não foi definitiva, mas pode vir a ser, a depender do parecer da empresa e de uma decisão final da Prefeitura.
Desde 2015, quando o contrato atual foi assinado, a Prefeitura de Porto Alegre e a empresa BA Meio Ambiente, responsável pelo contrato de coleta de lixo, tiveram diversas reuniões para tratar de impasses.
A empresa inclusive, recebeu 273 multas por infrações.

Enquanto o problema não se resolve, a capital gaúcha chegou a ficar sem coleta de lixo por 3 dias na semana passada.
A situação fez com que, a Prefeitura montasse uma força tarefa para realizar a coleta pela cidade.
77 caminhões, da Prefeitura e de empresas parceiras, contratados emergencialmente, foram alocados para suporte a operação, que conta com 250 funcionários provisórios nessa força tarefa.
Eles devem atuar, até que a situação com a empresa seja resolvida.

Nesta segunda-feira, 14, o Tribunal de Justiça do RS, considerou que é legal a suspensão contratual imposta pela Prefeitura.
A empresa tentava na Justiça, reverter a suspensão para voltar ao trabalho, mesmo que seus funcionários não queiram voltar.
O impasse entre a empresa e os colaboradores, parece distante de ser solucionado.
É possível que só se encontre uma saída para o problema do lixo, com um novo contrato e uma nova licitação.
Por hora, um rompimento definitivo não foi dado a empresa e por isso, essa decisão é debatida internamente pela Prefeitura.