Paraná registra pico de casos e mortes de crianças pela Covid-19

Por Isabella Peroni, Do G7 Informe

14/06/2021 | 8h05

O estado do Paraná está em alerta, desde a última terça-feira, 8.
Houve um aumento considerável no número de crianças e adolescentes que contraíram a Covid-19 e que precisaram de atendimento médico.
O Hospital Pequeno Príncipe, referência em atendimento pediátrico no Paraná, recebeu 28 internações na última semana.
destas, 7 crianças estão em ambiente de UTI e respiram por aparelhos.

Os números parecem pequenos, mas não são.
De janeiro a junho de 2021, 59803 crianças se infectaram com a Covid-19 no estado do Paraná.
E destas, 27 morreram por causa da doença.
Em todo o ano passado, de março a dezembro quando a pandemia começou, o estado registrou apenas uma morte e menos de 2 mil casos.

Os novos números, confirmam os alertas que a comunidade científica vem fazendo nos últimos meses sobre crianças e adolescentes.
Há uma grande incidência de contaminação especialmente entre aqueles que estão em idade escolar.
Quem já tem alguma comorbidade está ainda mais em risco, mas mesmo as crianças saldáveis, enfrentam problemas com a Covid, e as suas sequelas posteriores.

Não há ainda um prazo de quando essas crianças, com idade de meses a 10 anos, começarão a serem vacinadas.
No Brasil, a Anvisa liberou vacinas da Pfizer para maiores de 12 anos.
Mas mesmo esse público só deve começar a ser imunizado em 2022, depois que a população adulta receber as doses da vacina.
Hoje, o índice de mortes é maior em adultos, mas o perfil mudou.
Se antes as maiores taxas estavam em idosos acima dos 70 anos, hoje pessoas com idade entre 30 e 50 anos são mais contaminadas e morrem mais.
Isso também explica, porque as crianças estão sendo mais contaminadas.
Já que a maior parte dos pequenos no Brasil e no Paraná, tem contato com pessoas dentro desta faixa de idade.