Fiscalização – Procon deve observar taxas abusivas de supermercados em Delivery

Por Eduarda Sampaio, Do G7 Informe

02/06/2021 | 6h

A cidade de Franca está em Lockdown desde o último dia 27 de maio.
A previsão é que continue assim até o dia 10 de junho.
A decisão do Prefeito Alexandre Ferreira colocou Franca numa situação até então inédita na historia da pandemia.
Com tudo fechado, ou devendo estar, as pessoas precisaram recorrer a aplicativos e sites de supermercados para realizar suas compras de mantimentos.

Inúmeros problemas começaram a se verificar a partir daí.
O primeiro grande problema é que apesar de ter inúmeros supermercados, a cidade de Franca nem de longe tem a estrutura necessária para atender a demanda de mais de 350 mil
pessoas, pedindo entregas no Município.
Por isso alguns supermercados tem uma fila que chega a 2 dias de espera para a entrega ser realizada.
O problema tem feito com que muita gente reclame e nem consiga comprar, há risco de desabastecimento de bens de primeira necessidade.
Isso motivou o Tribunal de Justiça de SP conceder uma liminar ao supermercado Savegnago, autorizando a rede a abrir suas lojas em Franca na terça-feira, 1º.
Em poucas horas, quilométricas filas tomaram os supermercados da rede, único a abrir em Franca.
Outros mercados pretendem seguir o mesmo caminho e ir a Justiça através da Associação de Supermercados do estado de SP.

Enquanto isso não acontece, o esquema de compras segue em Delivery.
Mas além da má gestão outro problema é verificado e se tornou alvo de reclamações, muitas reclamações da população.
O preço elevado para os produtos e o frete da entrega dos alimentos.
R$ 15, as vezes até R$ 20,00, estão sendo cobrados dos consumidores para a entrega.
Em alguns supermercados o frete é dispensado, se a pessoa gastar mais de R$ 250,00.
Em outros limita-se o quantitativo de produtos entregues.
Há ainda aqueles que mesmo que se gaste muito, o frete não é liberado e cobra-se de qualquer jeito.

O Prefeito de Franca Alexandre Ferreira, tomou conhecimento dos abusos.
Mandou com que o Procon, verificasse a situação.
Aplicativos de entrega e sites de supermercados serão fiscalizados agora.
Onde se constatar irregularidades multas serão aplicadas.
É melhor que os espertalhões tomem cuidado, a fiscalização vai chegar e pegar pesado, afinal o Procon não brinca em serviço.
Ou não deveria brincar.