Franca registra novo recorde com 18 mortes em um dia por Covid-19

Publicado em: 28/05/2021 | 20h20

Guilherme Kalel e Mariana Maritan, Do G7 Informe

A cidade de Franca registrou nesta sexta-feira, 28 de maio, um novo recorde no tocante a mortes por Coronavírus.
Foram contabilizados 18 mortes pela doença, o maior número desde o começo da pandemia, em março do ano passado.
O recorde anterior, havia sido registrado na segunda-feira, 24, com 17 mortes registradas num único dia.

Nesta quinta-feira, 27, o dia também foi de mortes elevadas em Franca, com 15 óbitos contabilizados.
Os atuais números de agora mostram que 655 moradores perderam suas vidas na cidade, em decorrência da Covid.
Esses números tem preocupado as autoridades, e podem aumentar ainda nos próximos dias, por conta de festas e aglomerações realizadas até o final de semana.

Franca entrou em Lockdown desde esta quinta-feira, 27.
A esperança das autoridades de saúde, é que com isso os casos possam diminuir em Franca.
Isso desde que, as pessoas de fato respeitem o decreto Municipal.
O 2º dia de Lockdown, foi sem movimento no centro da cidade, mas de grande circulação de carros nos bairros.
Muita gente também aproveitou a chegada do final de semana, para sair de casa e viajar.
Outra coisa nada recomendada durante a quarentena mas que tem sido comum ocorrer.

Além de contabilizar 18 óbitos pela Covid-19, Franca ainda contabilizou mais 345 casos de Coronavírus hoje.
São agora, 29476 pessoas contaminadas pela Covid-19.
Destas, 25101 pacientes se recuperaram.
Há ainda, 3761 pessoas que esperam resultados de exames que possam confirmar ou descartar a doença.

Já nos hospitais o colapso prossegue.
Nos leitos de enfermaria existem 63 pessoas hospitalizadas em um total de 67 leitos.
Para a UTI, a rede particular, que tem 47 vagas, tem 37 ocupadas.
Na rede pública a situação é menos confortável.
São 59 leitos para atender a população, dos quais 56 tinham pacientes na noite de hoje.

Uma das coisas que chamam a atenção hoje, é que das 18 mortes registradas uma foi de um rapaz de 25 anos.
Ele não tinha comorbidades.
Outras 4 pessoas mortas, também não tinham nem uma doença preexistente.