Desespero – Pacientes lotam Pronto Socorro e UPAs de Franca a espera de leitos para internação

Publicado em: 23/05/2021 | 7h

Eduarda Sampaio, Do G7 Informe

A cidade de Franca vive um dos maiores colapsos no tocante a pandemia da Covid-19.
Uma média de 200 atendimentos em pessoas que estão com algum sintoma tem sido realizados por dia, no Pronto Socorro Municipal.
Pessoas de todas as idades tem aparecido, enquanto muitos testes estão sendo realizados.
Mais de 65 mil pessoas já foram testadas em Franca segundo os dados da Prefeitura.
28157 delas deram positivo para a Covid-19 e outras 3374, esperam por resultado de exames na data deste domingo, 23 de maio.
Esses números ainda contrastam com outra realidade.
Entre os infectados pela Covid-19, aqueles que esperam por um leito para que possam receber atendimento na rede pública.
Enquanto a vaga não vem, Pronto Socorro Municipal e UPAs de Franca, se transformaram em espécie de Hospital de Campanha para atender aos doentes.
São mais de 60 pessoas que na noite de sábado, 22 de maio, aguardavam por uma vaga para se internar.
Muitas dessas pessoas que estão nas unidades de atendimento, por mais de uma semana.
Algumas até, 15 dias.
Outras não tiveram a sorte de conseguir o leito, faleceram antes que a vaga fosse encontrada.

A Reportagem do G7 Informe, percorreu as unidades de atendimento médico de Franca, na noite deste sábado.
E constatou uma realidade como antes nunca foi vista na cidade.
Colapso, caos, assim se descreve a grave situação na saúde francana nesse momento.
Enquanto índices de isolamento seguem baixos na cidade, o caso de pessoas infectadas e com sintomas graves crescem.
E a Prefeitura continua tentando, mas não tendo eficácia, falhando na realização de sua tarefa de prover atendimento digno as pessoas.

Lockdown, é a única forma que nesse momento se faz necessária ser imposta em Franca.
Um Lockdown sério e total, para que a cidade possa aí sim, com alguma chance, enfrentar a pandemia e vencer essa fase.