Descaso – Famílias ficam sem notícias de pacientes hospitalizados no PS de Franca

Situação caótica ainda tem registro de pessoas que esperam há mais de 8h por atendimento sem conseguir

Publicado em: 23/05/2021 | 20h

Guilherme Kalel, Do G7 Informe

Em meio a pior parte da pandemia de Covid-19, a cidade de Franca continua a ter sua saúde em pleno colapso e distante de ver essa realidade mudar.
Hoje, foi mais um desses dias de caos para o Pronto Socorro Municipal.
A Reportagem do G7 Informe esteve no local no começo da noite, e acompanhou o drama de pessoas e famílias que esperam por atendimentos ou mesmo informações no Pronto Socorro.

Há casos de pessoas que fizeram suas fichas as 8 ou 9 da manhã, e que até as 19h, não haviam sido chamadas para atendimento.
Muitas até desistiram de receber o atendimento médico e foram embora para casa, sem um diagnóstico final do problema que tem.
É importante salientar que todas as pessoas que vão ao PS, tem sintomas de Covid-19.
Uma vez que o local virou o centro de referência para o primeiro atendimento contra a Covid-19 em Franca.

Outro drama é vivenciado no Pronto Socorro Municipal.
Quem consegue o atendimento e precisa ficar hospitalizado, depende de aguardar uma vaga na Santa Casa ou no AME de Franca, seja para UTI ou enfermaria.
Os leitos estão cada vez mais escassos, fizeram ser montado no PS e nas Unidades de Pronto Atendimento de Franca, uma espécie de hospital de campanha,
onde os pacientes esperam por liberação de vagas.

Há hoje, 60 pacientes que esperam por vagas dentro do Pronto Socorro Municipal de Franca, fora aqueles que foram transferidos para as UPAs.
Os dados foram repassador por uma enfermeira, a Reportagem do G7.
São 60 famílias que estão ali, desesperadas esperando por notícias de seus entes, sem as ter.

Uma denúncia dos familiares que chegou a Reportagem é que, muitos ali estão por mais de 24h, sem saber do quadro de saúde de seus parentes.
Um descaso para dizer o mínimo, já que não há pessoal para atender a essas famílias, que precisam esperar aflitas a ligação de um médico para passar as informações do
paciente.
O problema é que, a ligação não vem.
Pessoas esperavam desde a manhã de domingo, sem sucesso, que as ligações fossem realizadas.
Muitas cansadas, foram para a porta do Pronto Socorro e se aglomeraram no local em busca de informações.
Sem sucesso, já que somente os médicos segundo a equipe de acolhimento, podem passar os dados referentes aos pacientes.
E os médicos, não saem para fora, ficam apenas dentro, na parte de atendimento emergencial.

A Reportagem do G7 Informe tentou entrar em contato com o Prefeito Alexandre Ferreira, para questiona-lo sobre a situação do Pronto Socorro.
Sem sucesso, o chefe do executivo não respondeu as mensagens da Equipe.