Opinião – Bruno Covas, uma perda irreparável para o Brasil, a política e São Paulo

Publicado em: 22/05/2021 | 9h

Guilherme Kalel, Do G7 Informe

O Brasil se despediu de maneira precoce e triste, do Prefeito de São Paulo Bruno Covas, do PSDB no último domingo, 16 de maio.
Covas que tinha 41 anos de idade, lutou por mais de 1 ano e meio contra um câncer no sistema digestivo.
Não se refutou as batalhas e foi uma pessoa persistente e decidida, como sempre em toda a sua vida e carreira.
O Prefeito não se afastou do cargo, quando seu tratamento começou.
Foi um grande desafio administrar a maior cidade do Brasil e se tratar de uma doença como essa.
E ele não desistiu e nem perdeu qualquer um dos desafios lançados.

No seu tratamento, administrou a cidade, retirou a capital paulista de uma rota de colapso por conta da pandemia de Covid-19.
Enfrentou uma eleição e venceu, em novembro de 2020.
Venceu com honra, de maneira limpa e como há muito não se via.
As últimas eleições municipais de São Paulo deixaram de lado a tradicional polarização, e deram lugar a discussão de propostas.
Apesar de no 2º turno seu oponente ser um candidato de esquerda, Covas nunca baixou ou elevou seu tom.
Na campanha o que foi discutido foi a cidade, seus problemas e como na visão de cada um dos postulantes, a melhor forma de os resolver.
Por seus méritos a jovem liderança política Bruno Covas, venceu nas urnas.

Infelizmente a batalha contra o câncer foi mais difícil, sempre é.
No começo de maio depois de muitas sessões de imunoterapia e quimioterapia, Covas descobriu novos tumores e precisou se internar.
No dia 3, pediu licença do cargo porque precisaria ficar muito no hospital.
Seu vice, Ricardo Nunes assumiu, mas todos tinham a esperança que o Prefeito voltasse.

Rapidamente o quadro se agravou, e no dia 14 de maio houve a notícia que era irreversível.
Covas foi sedado naquela noite e permaneceu internado ao lado de familiares.
No dia 16, faleceu.
De maneira contundente, ele escreveu antes de morrer uma carta, para companheiros do PSDB.
Carta que vai ficar na historia.
O neto de Mário Covas, governador de SP morto no exercício do cargo em 2001 por um câncer, teve o mesmo destino.
Falecendo apesar de todos os seus esforços e de sua equipe médica.
No funeral, muita emoção.
E a certeza de que a sua morte representa uma perda irreparável para o Brasil, para São Paulo e para a política como um todo.

Bruno Covas entrou na carreira cedo, influenciado pelo avô.
Ainda jovem deixou sua casa em Santos, no litoral paulista e se mudou para São Paulo para estudar.
Ao lado de Mário Covas desde adolescente, foi tomando gosto pela política.
Ficou com o avô a maior parte do tempo durante sua doença e sempre aparecia nos eventos do estado o prestigiando.
Em 2004, foi pela primeira vez candidato a um cargo público, Vice-prefeito de Santos, mas perdeu a eleição.
Se elegeu 2 anos mais tarde, em 2006, como deputado estadual.
Depois se reelegeu em 2010 como um dos mais votados da historia.
Em 2011, deixou o mandato para assumir o cargo de Secretário do Meio Ambiente na gestão estadual de Geraldo Alckmin, e em 2014, foi candidato a deputado federal.
Bruno venceu aquela disputa, e votou pelo Impeachment de Dilma Rousseff.

Em 2016, deixou o mandato federal ao concorrer como Vice de João Doria, a Prefeitura de São Paulo.
E venceu a disputa ao lado do empresário.
Não imaginava, não tinha ideia, mas 2 anos mais tarde, Covas assumiu a maior cidade do país quando Doria se licenciou para concorrer e vencer as eleições de governador.

Bruno Covas então se consagrou, ao vencer a própria eleição em 2020.
Fruto de seus 2 anos de trabalho e muita dedicação, já em meio ao câncer.
O político era admirado e tinha uma linha de visão para além dos horizontes.
Poderia facilmente ser governador de São Paulo um dia, e quem sabe chegar a Presidência da República, por que não.
Quis o destino que fosse diferente e que ele partisse de maneira precoce.
Deixando uma cartilha de ensinamentos e de olhares, a outros seguirem.
É exatamente o que deve fazer seu Vice, que agora é o novo Prefeito de SP, Ricardo Nunes.
Por diversas vezes o novo Prefeito já disse, que a gestão é Covas, e que não pode se dar ao direito de errar.
O Prefeito sabe de suas responsabilidades mas nesse momento, o foco é dar continuidade ao que Bruno Covas começou, e é isso que pretende fazer.